O Que é Administração Estratégica E Como Aplicá-la na Sua Empresa!


Conceito de Administração Estratégica

A administração estratégica é o campo onde é efetuado o planejamento estratégico da empresa tendo como base sua missão, visão e valores.

Neste campo são estabelecidos conjuntos de opções, diretrizes e valores determinados pelos líderes (alta administração) da empresa, para que a organização possa ter um bom desenvolvimento a longo prazo.

AdministraçãoEstratégica

Através das estratégias é possível estabelecer objetivos, metas, projetos, orçamentos, logística, táticas, planos de ação, e também antecipar problemas que podem ocorrer durante o percurso, diminuindo os riscos da empresa.

O desenvolvimento de uma estratégia competitiva é uma fórmula ampla de como a empresa competirá e quais serão as metas e políticas estabelecidas para alcançar o objetivo.

Como exemplos de alguns tipos de estratégia nas empresas podemos citar: redução de custos, inovação, expansão e internacionalização.

Ser estratégico é acima de tudo se preparar para enfrentar e vencer desafios, enxergar ameaças e oportunidades que ainda não existem.

A administração estratégica é um processo contínuo devido a mudanças constantes que ocorrem no micro e macroambiente.

Por isso ela deve estar em constante monitoramento dos resultados organizacionais e a partir disso devem ser feitas as adaptações necessárias.

Ela também é um campo interativo e visa manter uma organização como um conjunto apropriadamente integrado a seu ambiente.

Para que a administração estratégica possa acontecer e devido ao seu grande impacto na vida da organização, ela é dividida em algumas áreas como:

planejamento estratégico, gestão estratégica, controle e administração da estratégia empresarial e sistema de informação estratégico.

Sendo assim, podemos concluir que a administração estratégica é um conjunto integrado e coordenado de ações definido para explorar competências essenciais e obter vantagem competitiva.

Onde a empresa escolhe quais caminhos seguirá para ampliar o sucesso da organização, tanto no presente como no futuro, fornecendo condições para acrescentar novos elementos de reflexão e ação sistemática continuada,

para avaliar a situação atual, elaborar projetos e mudanças estratégicas.

Portanto ela é legitima e essencial nos negócios.

Planejamento e Implantação da Estratégia

Para que as empresas possam ter uma administração efetiva e eficaz, a fim de conseguir ter competitividade e efetividade para permanecer em atividade no futuro,

é necessário seguir um processo ou uma série de etapas presentes na administração estratégica.

Por que planejamento estratégico?

Além da satisfação pessoal de se encarregar do futuro das organizações, o planejamento estratégico oferece pelo menos cinco razões convincentes para sua utilização:

  • Força um olhar para o futuro e, portanto, proporciona uma oportunidade para influenciar o futuro, ou assumir uma postura pró-ativa.
  • Fornece uma melhor conscientização sobre as necessidades e sobre as questões e o ambiente relacionados às instalações.
  • Ajuda a definir a missão geral da organização e se concentra nos objetivos.
  • Fornece sensação de direção, continuidade e efetiva equipe e liderança.
  • Conecta todos ao sistema e fornece padrões de responsabilidade para pessoas, programas e recursos alocados.

Em resumo, o planejamento estratégico é a chave para nos ajudar coletivamente e cooperativamente a conquistar o futuro e o destino da nossa organização.

Cinco produtos de planejamento estratégico

O objetivo geral do planejamento estratégico é produzir um plano viável que englobe os seguintes fatores abaixo:

  1. Questões e tendências ambientais: fatores que podem afetar a organização e a forma como ela conduz negócios. As questões internas incluem pessoal, serviços, habilidades, recursos e necessidades. Fatores externos incluem coisas como ameaças de terceirização.
  2. O início do processo de administração estratégica se dá a partir análise do ambiente, monitorando o ambiente organizacional para identificar riscos e oportunidades tanto presentes quanto futuros.
  3. Nesse contexto devem ser levados em conta todos os fatores, tanto internos como externos à organização, que podem influenciar o progresso da mesma.
  4. Para esse monitoramento, costumam ser utilizadas algumas ferramentas, como: Análise Swot, 4 Ps, Matriz BCG , CVP e Benchmarking.
  5. Um comitê de planejamento estratégico compila uma varredura ambiental, um conjunto de informações sobre o meio ambiente.
  6. Questões amplas, destacadas como potencialmente afetando significativamente o setor de planejamento e gerenciamento de instalações, são chamadas de mega-questões.
  7. Pesquisa de necessidades: fornece informações de clientes e instituições de pares. As necessidades prioritárias e as expectativas resultantes da pesquisa são cruciais como base para a definição de objetivos.
  8. Declaração de Missão: Define a razão fundamental da existência da organização e estabelece o alcance de seus negócios.
  9. Objetivos gerais: descreva amplamente os resultados do que a organização deseja alcançar à luz das necessidades e questões relevantes.
  10. Estratégias: ações específicas e mensuráveis ​​e direções destinadas a atingir os objetivos estabelecidos. As estratégias são cumpridas através da criação, continuação, mudança ou eliminação de programas.

Administração estratégica de recursos humanos

A área de Recursos Humanos vem se transformando a cada dia, e seu principal desafio é acompanhar a evolução e a forma como se administram as empresas em uma economia cada vez mais internacionalizada.

Administração Estratégica

A cada dia que passa a tecnologia e a competitividade das empresas dominantes aumentam, elas exigem uma demanda crescente por trabalhadores qualificados portadores de novas competências e habilidades.

Pessoas mais instruídas podem significar também pessoas mais flexíveis e abertas a idéias novas.

As mudanças exigem novos atributos construídos, fatores essenciais nos momentos em que os processos produtivos mudam rapidamente devido ao progresso tecnológico e à conseqüente adoção de novas ferramentas gerenciais.

A administração de Recursos Humanos entende-se como uma área estratégica, com amplo poder de decisão, capaz de influenciar consideravelmente a gestão da empresa e, tem como desafio melhorar continuamente as pessoas e suas ações na organização.

Os profissionais Recursos Humanos envolvidos com a educação ambiental devem explorar seus horizontes além da questão da melhoria da qualidade de vida no trabalho, as atribuições nesse contexto ultrapassam as fronteiras da empresa.

A Administração Estratégica é muito importante, pois administra a organização e direção dos recursos empresariais de forma otimizada, prove um ambiente organizacional motivador, além de permitir acompanhamento e adequação constante dos objetivos organizacionais à realidade,

Dessa forma consolidando um conjunto de pressupostos, normas e ações que alavancam o processo de planejamento da situação futura desejada pela empresa.

Através disso é possível maximizar seus resultados e desempenho, fortalecendo o posicionamento da empresa no mercado, além de permitir uma efetiva transformação organizacional, assegurando o crescimento, continuidade e sobrevivência da empresa.

A  Administração Estratégica de Recursos Humanos é utilizada para ajudar as empresas a suprir as necessidades dos colaboradores enquanto busca atingir seus objetivos.

A Administração Estratégica de Recursos Humanos está ligada aos aspectos do negócio que afetam os funcionários, como admissão e demissão, folha de pagamento, benefícios, treinamento e administração.

Recursos Humanos também provê incentivos de trabalho, procedimentos de segurança, licenças e férias.

A Administração Estratégica de Recursos Humanos é uma gestão de pessoas pró-ativa.

Ela requer que se pense a frente, planeja caminhos para a empresa suprir as necessidades de seus empregados e para os funcionários suprirem as necessidades da organização.

Isso pode afetar a maneira como as coisas são feitas, melhorando tudo, desde as práticas de admissão e programas de treinamento até as técnicas de avaliação e disciplina.

Empresas que se empenham para descobrir as necessidades dos colaboradores podem cultivar um ambiente de trabalho focado na produtividade.

Gestão de Recursos Humanos é a melhor maneira de alcançar isso.

Ser capaz de planejar as necessidades dos empregados pensando a frente pode ajudar a aumentar o número de talentos que desejam trabalhar na organização.

O aumento da taxa de retenção de funcionários pode reduzir os gastos da organização com recrutamento e treinamento de novos funcionários.

Quando criar um plano de Recursos Humanos, é importante considerar o que os colaboradores desejam ou precisam e o que a organização pode razoavelmente suprir.

Geralmente, uma grande empresa pode suportar programas de treinamento e benefícios, mas uma pequena não. Isso não significa que uma pequena organização não pode estar engajada na Administração Estratégica de Recursos Humanos.

Desenvolvendo treinamentos especializados “in company”, mesmo que realizado pelos funcionários mais experientes, e oferecendo avaliações individuais e sessões de “coaching“, pode ajudar os funcionários a alcançar picos de produtividade excelentes.

Administração estratégica no ambiente interno

Com o uso da matriz SWOT é uma técnica de análise de ambiente interno e externo, comumente empregada em processo de planejamento estratégico para avaliação do posicionamento da organização e de sua capacidade de competição.

A sigla SWOT é uma abreviação das palavras (Strengths, Weaknesses, Opportunities, Threats) significando que serão considerados na análise pontos Fortes, pontos Fracos, Oportunidades e Ameaças.

No Brasil podemos chamar esta ferramenta estratégica de FOFA (Fortes, Oportunidades, Fracos, Ameaças), mas pessoalmente confesso que gosto mais de chamá-la de SWOT.

Geralmente a análise considera a comparação da empresa com a concorrência e/ou com outras empresas do setor. Este processo é conhecido como Benchmarking que busca identificar as melhores práticas na indústria para obter um desempenho superior.

Nele a empresa examina como outra empresa realiza uma função específica a fim de melhorar como realizar a mesma ou uma função semelhante. Mas não podemos esquecer que melhor do que usar uma prática existente é superá-la e para isso é preciso inovar.

Ambiente Interno

Quando analisamos o ambiente interno, devemos considerar variáveis ou fatores que a organização tem controle, sempre envolvendo recursos, capacidades e processos, como:

Colaboradores, especialização, tecnologia, marcas, patentes, recursos financeiros, experiência dos gestores, processos organizacionais e produtivos, informações sobre o mercado, valores ou cultura, agilidade ou capacidade de mudança.

E nesta análise interna verificamos os pontos fortes e os pontos fracos.

S – Strengths = Pontos Fortes – são características positivas de destaque, na instituição, que a favorecem no cumprimento do seu propósito. Como por exemplo:

  • Marca conhecida e respeitada;
  • Produtos com qualidade superior a concorrência;
  • Rede de distribuição de cobertura nacional;
  • Presteza no atendimento a reclamações;
  • Recursos de comunicação e de logística;
  • Pessoal de excepcional competência e motivação.

W – Weaknesses = Pontos Fracos – são características negativas, na instituição, que a prejudicam no cumprimento do seu propósito. Como por exemplo:

  • Pessoal novo e mal treinado ou desmotivado;
  • Falta de documentação de processos;
  • Sistemas de TI não atendendo adequadamente as necessidades das áreas usuárias;
  • Ausência de um manual de usuário claro, do produto ou serviço;
  • Falta de local adequado para o estacionamento de clientes;
  • Ausência de recursos para pagamento via cartão de crédito;
  • Falta de integração entre os departamentos e sessões.
  • Ao considerar as fraquezas tenha foco nos fatos, não nas pessoas. A ideia sempre deve ser construtiva, de edificação, buscando melhorias.

Além da Análise SWOT existem outras ferramentas muito úteis para o planejamento estratégico, abaixo apresento resumidamente outras duas.

A análise PEST (política, econômica, social, tecnológica) avalia um mercado, incluindo os concorrentes, do ponto de vista de uma proposição particular ou um negócio.

Ela pode ser útil antes da análise SWOT porque ajuda a identificar fatores de SWOT. PEST e SWOT são duas perspectivas diferentes, mas podem conter fatores comuns.

A análise das 5 forças competitivas de Porter – usada para análise setorial: Rivalidade entre os concorrentes; Poder de Negociação dos clientes; Poder de Negociação dos fornecedores; Ameaça de Entrada de novos concorrentes; Ameaça de produtos substitutos.

Etapas da Administração Estratégica

O planejamento estratégico se tornou uma das mais importantes ferramentas para a gestão das empresas no mundo atual.

Administração Estratégica

É uma das principais funcionalidades da administração pelo qual o administrador e sua equipe escolhem o padrão para o direcionamento da empresa, execução das atividades e a liderança.

Esse planejamento é essencial para auxiliar na tomada da decisão e adiantando possíveis situações conflituosas e mudanças no mercado de atuação.

A sorte pode ajudar muitas empresas, mas o que diferencia o sucesso de uma organização é antecipar os problemas e conflitos, ou seja, planejar. É necessário usar as ferramentas do planejamento de maneira consciente para que elas se encaixem na situação da empresa.

Com todas as mudanças e exigências que o mercado tem feito nos dias de hoje, torna-se necessário mudar a forma de gestão das empresas. Mudar o pensamento de estagnação que muitos gestores têm em mente.

É preciso agir, buscando novas estratégias para a empresa, a fim de conseguir vantagens competitivas e ocupar uma posição de peso no mercado.

O processo de Administração Estratégica auxilia na escolha de estratégias e implementação dessas mudanças, tendo esse artigo por objetivo, orientar gestores e interessados no tema, na implantação deste processo nas empresas.

Dentro da administração estratégica, é possível abrir um espaço para se falar dos tipos de estratégias.

Dentre as principais, pode-se destacar as competitivas e as cooperativas.

  • a) Estratégias competitivas

Chama-se estratégia competitiva aquilo que o fornecedor decide fazer para que, na mente dos clientes ou consumidores, os produtos ou serviços que oferece tenham alguma distinção e mereçam a preferência deles.

A estratégia de inovação competitiva  aplicável a muitos setores de produtos e serviços. Este é um modo engenhoso de escapar das formas de concorrência direta.

Organizações que adotam a estratégia de inovação competitiva costumam ter objetivos e metas ambiciosas.

 Estratégias de inovação competitiva são os esforços e direcionamentos sistemáticos e consistentes para criar, continuamente, novas soluções, novas aplicações de produtos existentes, novos produtos, novos clientes,  novas formas de vender, de comprar os insumos, de distribuir os produtos ou serviços, de produzir, de formar.

Enfim, tudo aquilo que,  naquele mercado específico, seja entendido como uma novidade.

  • b) Estratégias cooperativas

As alianças estratégicas são a forma principal das estratégias cooperativas.

As organizações descobriram que não conseguem atender bem sua clientela ou público-alvo em toda a plenitude de suas necessidades básicas.

Além disso, reconhecem que, para ter sucesso e sobreviver, é necessário concentrar-se em algumas poucas competências básicas para serem reconhecidas como as melhores naquilo que são ou fazem.

É por esse motivo que surgiram, progressivamente, nos últimos tempos, cada vez mais alianças e parcerias entre entidades e empresas, cada uma especializada em algum aspecto relevante do processo produtivo, comercial, tecnológico ou financeiro.

Em setores caracterizados por pequenas e médias empresas, a cooperação torna-se ainda mais essencial para a criação de sinergias entre os agentes.

Importância da Administração Estratégica

Com a globalização reduzindo as fronteiras o aumento da concorrência é inevitável no contexto atual, e com isso, as organizações contemporâneas necessitam cada vez mais tentar garantir a sua sobrevivência empresarial.

De acordo com pesquisa realizada pelo SEBRAE (2005), a taxa de mortalidade das empresas brasileiras é de 46,7% no segundo ano de existência, 53,4% e 62,7% para o terceiro e quarto ano de existência.

Para suportar essas dificuldades e na tentativa de amenizar as incertezas, as empresas precisam utilizar instrumentos para prever cenários, na tentativa de garantir o desenvolvimento e a permanência no mercado.

Para que isso ocorra, é preciso que se implante uma política de planejamento e que medidas estratégicas sejam adotadas na organização, utilizando-se ferramentas de apoio.

Nas empresas competitivas verifica-se que, uma importante condição para sua manutenção no mercado, está ligada à clara definição de seus objetivos e ao traçado antecipado dos possíveis caminhos a serem seguidos para atingi-los.

O mundo empresarial vem passando por mudanças que estão ocorrendo de forma acelerada e em três níveis: pessoal, tecnológico e organizacional.

No âmbito do indivíduo, por exemplo, uma das principais mudanças que ocorreram no cenário dos negócios, foi a absoluta ruptura nos padrões de carreira profissional nas empresas.

A idéia de se ter um emprego vitalício, deixou de ser uma realidade para se tornar uma ficção, mesmo nas economias mais desenvolvidas.

Do ponto de vista tecnológico, a convergência entre as indústrias de entretenimento, os editoriais, as mídias eletrônicas e a universalização da informação, estão alterando o ambiente de negócios radicalmente.

Ter um amplo conhecimento sobre Administração Estratégica Avançada e sua importância para o mundo dos negócios é um passo muito importante para quem atua na área.

Evidentemente, planejar, diagnosticar e tomar decisões são tarefas difíceis, que requerem habilidades e domínio das atividades. Perceba que é uma tarefa exclusiva para poucos dentro da organização.

Assim, os profissionais que querem se destacar em um mercado altamente competitivo precisam apresentar alguns diferenciais: visão holística, disciplina, comprometimento e, acima de tudo, trazer resultados vantajosos para a empresa.

É importante destacar que, na turbulência do mercado que estamos vivenciando, as empresas deverão estar preparadas para a alta competitividade, implantando uma administração estratégica para superar todos os desafios do dia a dia e que o resultado final seja vantajoso para a organização.

Somente a administração estratégica é que dará condições para que as empresas possam obter um diferencial competitivo nos negócios.

Administração estratégica e vantagem competitiva

Todos os negócios buscam alcançar o sucesso, com resultados positivos as teorias e os autores da administração possuem inúmeras formulas e ferramentas para atingir o sucesso, porém para tanto é necessário antes de aplicá-las aos respectivos negócios, reflexões sobre o negócio, produto ou serviço,

a aplicação da famosa ferramenta do planejamento estratégico é uma das técnicas a serem utilizadas posteriormente.

A visão do administrador e de suas equipes deve ser mais abrangente, e não se deter em uma única solução, deve ser utilizado o “farol alto”, e para tanto é necessário a avaliação do negócio com a visão da administração estratégica com as teorias de administração cabíveis ao negócio,

com os objetivos de obter a almejada vantagem competitiva com criação de valor as partes interessadas, pois o mercado está em constante movimento.

Inicialmente, vamos entender a origem da palavra estratégia, vem de (stategos do grego antigo, e significa exército e algo – liderança, comando), designava o comandante militar ou campanhas militares.

Durante séculos foi utilizada com vinculação a arte da guerra e aos planos elaborados pelos comandantes militares para vencerem suas batalhas.

Obter a vantagem competitiva na administração é uma estratégia. Para tanto é necessário ter um produto/serviço, um mercado a ser atendido e o valor de troca do mesmo.

Todo produto/serviço possui três valores:

a)  O valor real ou custo de produção;

b)  O valor de mercado ou de troca;

c)  O valor de uso ou utilidade para o consumidor.

Fora de um mercado, um produto/serviço, não tem valor econômico.

Mas, como obter a vantagem competitiva e a criação de valor?

Os negócios de sucesso possuem capacidade de gerar valor que suas rivais não possam reproduzi-lo, ocupando posições de vantagem.

O mercado está ampliado de tal forma que é possível, criar valor em um segmento de consumidores, enquanto que outra empresa cria em outro segmento do mesmo ramo.

Desta forma é possível obter o resultado que a organização busca.

Nenhum produto/serviço é viável sem criar valor econômico positivo, dentro da disposição máxima que o consumidor estará disponível a pagar.

Agora, vamos aplicar a Administração Estratégica reúna sua equipe e lance as seguintes reflexões:

1.  Estamos criando valor com nossos produtos/serviços?

2.  Vamos obter vantagens competitivas em nosso mercado?

Após esta reflexão inicial é hora de partir para o planejamento estratégico da organização em busca do sucesso.

Clique no link abaixo e conheça a ferramenta que irá transformar os resultados dos seus colaboradores.

>> Clique Aqui e conheça o Software Avaliação Gratuitamente <<

O Que é Administração Estratégica E Como Aplicá-la na Sua Empresa!
5 (100%) 20 votes


E-book Grátis

Descubra os 10 passos infalíveis para uma Avaliação de Desempenho Perfeita.

Informe seu e-mail ao lado

100% livre de spam.