Ambiente de Trabalho | Como Criar Um Bom Ambiente Na Sua Empresa!22 min read


As dificuldade nas relações interpessoais no ambiente de trabalho é um dos principais problemas vivenciados no mundo empresarial moderno.

São inúmeros os relatos de conflitos interpessoais.

De modo geral essas desavenças surgem na interação diária entre duas ou mais pessoas, ocasionadas por divergência de ideias, por diferenças de personalidade, objetivos ou metas e por variedade de percepções e modos de analisar uma mesma informação ou fato.

O problema se instala quando essas situações não são resolvidas ou não são percebidas pelos envolvidos, ficando mascaradas, invisíveis e internalizadas nos colaboradores que acabam demonstrando suas emoções somente em casos extremos.

ambiente de trabalho

Sabotagens Conscientes e Inconscientes

Tanto as pessoas quanto as empresas sofrem a consequência das relações interpessoais negativas que geram desmotivação da equipe, queda do rendimento e da produtividade, sabotagens conscientes (faltas e atrasos no trabalho) e inconscientes (“estou sem vontade de fazer isso agora”).

As trocas constantes de informações e o diálogo são essenciais, quando se busca a preservação dos relacionamentos e o trabalho em equipe, o que acaba sendo imprescindível para o bom andamento das atividades organizacionais.

Nesse sentido, para ter boas relações é necessário abrir-se para o novo, buscar ser aceito e ser entendido e entender o outro.

Jogos de Interesses

Vale ressaltar que sempre existirá não só no trabalho, mas no contexto social, os jogos de interesses, ou seja, “sou receptivo e agradável com determinadas pessoas, enquanto elas foram necessárias e convenientes para alcance das minhas necessidades e objetivos”, são aquelas alianças tidas como temporárias e frágeis.

É obvio que essas ações não são éticas e nem humanas, mas a realidade nos revela que vivenciamos muitas vezes um jogo de interesses que estão mascarados e velados.

Relações Interpessoais no Ambiente de Trabalho

Onde passamos cerca de um terço de nossa vida é fundamental saber conviver com as pessoas e respeitá-las em suas individualidades, caso contrário, somente o fato de pensar em ir para o trabalho passa a ser insuportável e sofrível.

A contribuição que é recebida das pessoas no trabalho equivale a forma com que elas são tratadas e respeitadas em suas diferenças e particularidades.

Com isso é possível receber como retorno o apoio e um bom trabalho dos profissionais.

O Papel do Líder nas Relações Interpessoais

Se o líder for conflituoso, autoritário, isolado, invejoso e soberbo, só acumulará discórdias, desentendimentos e a falta de união.

Alguns indivíduos não conseguem lidar com a adversidade e com opiniões diferentes da sua, colocando-se em uma posição julgadora, deixando-se levar por uma impressão negativa das pessoas, sem ao menos procurar compreendê-las ou conhecê-las.

Com esses sujeitos fica difícil a convivência e o diálogo, pois eles se fecham em suas ideias e convicções e se isolam do restante da equipe.

O papel do líder é fundamental no processo das relações interpessoais. Ele precisa ter habilidades especialmente importantes nas relações: são competências assertivas, humanizadas e conciliadoras, conduzindo a equipe de forma harmoniosa e coesa.

Boas Relações Interpessoais e Clima Organizacional Positivo

Para que o clima organizacional seja harmonioso e as pessoas tenham um bom relacionamento interpessoal, é necessário que cada um deixe de agir de forma individualizada e egoísta, promovendo relações amigáveis, construtivas e duradouras.

Agir como um verdadeiro time.

Clima harmonioso não significa ausência de conflito ou um ambiente sem qualquer desordem ou desentendimentos, mas quando um problema ocorre é o respeito e a colaboração de todos que prevalece, pois os objetivos compartilhados dentro da empresa são comuns.

O mais interessante é que o alto nível de qualidade nos relacionamentos internos é um dos fundamentos da riqueza material, pois empresas que possuem relações interpessoais positivas tendem a ter resultados mais positivos.

Ambiente de Trabalho Hostil – Como Lidar?

Um ambiente de trabalho hostil é geralmente definido como um ambiente de trabalho que abriga o comportamento discriminatório ou assédio.

Este tipo de comportamento não precisa afetar todos os empregados da empresa.

Basta uma pessoa ser impactada negativamente pelo ambiente para que possa ser considerado hostil.

Em muitos aspectos, o termo é um pouco subjetivo e embora pareça vagamente legalista, não existem geralmente quaisquer consequências jurídicas ou ramificações a menos que o comportamento envolve algum tipo de discriminação, ou seja possível provar um abuso sistemático de poder ou autoridade.

Mesmo sendo em pequeno grau pode afetar a produtividade dos funcionários e a linha de fundo da empresa.

Também pode causar problemas com a moral e a cultura corporativa geral.

Por estas razões muitas empresas procuram maneiras de chegar aos empregados em todos os níveis para medir sua satisfação e procurar formas de correção de problemas de hostilidade, antes que eles saiam fora de controle.

Por que isso acontece

Outros nomes para um ambiente de trabalho hostil pode incluir “intimidar o ambiente de trabalho,” “ambiente de trabalho abusivo” ou “ambiente de trabalho ofensivo.”

Há inúmeras razões pelas quais as pessoas podem usar esses termos para descrever situações hostis no trabalho, mas a maioria dos casos resume as interações interpessoais e os padrões gerais de relacionamentos entre pessoas com autoridade e aqueles que são em níveis hierárquicos abaixo.

Enquanto um ambiente de trabalho hostil pode assumir muitas formas, algumas características comuns incluem abuso verbal e agressividade sobre territórios ou limites.

Concorrência excessiva, jogos de poder, desafios desnecessários e o enfraquecimento do trabalho de uma pessoa também podem ser parte disso, assim como qualquer outro meio de sabotar a produtividade.

Assédio sexual também faz parte do que se considera ambiente de trabalho hostil.

Isto inclui o uso de linguagem sexual ou discriminatória, soslaio sexual ou olhar agressivo, contato físico não permitido, linguagem inadequada e gestos obscenos.

Inclusões e exclusões comuns

As questões que caracterizam um ambiente de trabalho hostil são difíceis de serem identificadas, por a questão é bastante subjetiva.

Depende muito das circunstâncias e as pessoas envolvidas.

Mesmo assim, especialistas em recursos humanos afirmam que o termo é melhor usado para descrever padrões de comportamento problemático.

Nem todos os comportamento negativos são considerados assédio e atitudes como provocações indesejados, comentários isolados, não caem sob a definição.

Isto é particularmente verdadeiro quando o problema é decorrente de uma só pessoa, um colega de trabalho, por exemplo.

A intimidando vinda de um superior, pode qualificar-se, porém, particularmente que se acontece diversas vezes e em vários contextos e se esse tipo de comportamento é reforçado em outros aspectos da vida de trabalho, como nas reuniões, ou com a participação de outros membros da equipe.

Colocando a culpa

Muitas vezes é uma suposição comum que a hostilidade no local de trabalho venha principalmente de um chefe, funcionário ou colega de trabalho.

Estes são frequentemente os mais prováveis responsáveis e são também os casos mais comuns.

Eles não são as únicas possibilidades, no entanto.

Qualquer pessoa envolvida ou em contato com o local de trabalho pode ser considerada um antagonista, dependendo das circunstâncias.

Clientes, empreiteiros independentes, convidados ou até mesmo outros fornecedores com quem uma pessoa tenha de trabalhar podem fazer um ambiente de trabalho inóspito.

Impactos maiores

O funcionário costuma ser a primeira vítima de um ambiente de trabalho hostil. Mas os efeitos vão além.

Ambiente de trabalho negativo também pode afetar os negócios e os resultados da empresa.

Os funcionários que se sentem perseguidos ou atormentados por nenhum motivo justificável a princípio, podem passar as suas horas de trabalho preocupados com a ameaça real ou percebida, frequentemente formulando defesas ou outra forma de lidar com a questão.

Isso pode causar uma grave queda na produtividade.

Outros observadores podem também ser afetados indiretamente.

Espectadores que presenciam uma pessoa ou grupo de pessoas sendo mal tratados, podem parar de se comunicar e compartilhar suas ideias de forma livre e aberta, por medo de possíveis represálias.

Esse tipo de comportamento muitas vezes é impulsionado pelo desejo de não ser notado para não virar um possível alvo.

Quando a palavra se espalha que há hostilidade em um determinado ambiente de trabalho, reverter a situação se torna mais complicado e a empresa também pode ter dificuldade em atrair as pessoas certas para as posições em aberto.

Implicações legais

A maioria dos lugares não tem leis específicas contra a hostilidade no local de trabalho.

Isto não significa, no entanto, que não existem sempre consequências jurídicas ou ramificações para situações verdadeiramente notórias.

Em alguns casos, as circunstâncias sob as quais se desenvolve a hostilidade podem ser ilegal.

Por exemplo, assédio ou intimidação que ocorre em função de raça, religião, nacionalidade, idade, sexo ou deficiência, pode ser motivo para análise jurídica e pena.

Para ser punível, no entanto, o assédio deve ser comprovadamente grave e generalizado.

Ttambém deve ocorrer repetidamente, para que possa ser interpretado como uma séria questão legal.

Estratégias e soluções

É do interesse dos proprietários certificarem-se de que todos os locais de trabalho são hospitaleiros lugares, onde os funcionários podem liberdade e satisfação para desenvolverem suas atividades e o seu potencial.

Existem diferentes maneiras de alcançar esse objetivo.

Uma delas é realizar de forma periódica, as pesquisas de satisfação, abrir a comunicação entre líderes e trabalhadores, além de oportunizar os colaboradores também avaliarem seus superiores, desde que essas avaliações sejam uma via de mão dupla, com base na justiça, profissionalismo e respeito.

Nem sempre há uma maneira de evitar a hostilidade no local de trabalho, mas as empresas que fazem esforços para reconhecê-lo, removê-lo, promovendo canais positivos de comunicação, são as que atingem os melhores resultados.

ambiente de trabalho

Organização no Ambiente de Trabalho

Algumas pessoas acreditam que viver com um pouco de desorganização pode ser o segredo para a criatividade.

Por outro lado, muitas pessoas se sentem improdutivas e dispersas em meio à falta de arrumação.

Um pouco de desorganização pode sim trazer mais criatividade para algumas pessoas, porém viver de forma totalmente desorganizada não é nada saudável, principalmente porque a organização ou a falta dela pode influenciar diretamente o seu estado de espírito.

O que é ser organizado?

Ser uma pessoa organizada significa viver de forma mais produtiva e com mais qualidade.

Ser organizado no ambiente de trabalho, por exemplo, pode te fazer poupar tempo (achando rapidamente um e-mail que você precisa) ou ter mais qualidade na atividade que está executando (focando mais no que está fazendo do que nas distrações causadas pela bagunça).

Por que ser organizado?

Por vários motivos, um deles é que isso pode facilitar muito a sua vida.

Se você criar o hábito de arrumar as coisas logo após terminar de usar, por exemplo, não precisará perder tempo fazendo a arrumação durante horas ou dias.

Outro bom motivo é que ser organizado pode influenciar positivamente o seu dia. Manter seu ambiente limpo e arrumado pode fazer bem para você e para o seu humor.

Esses são apenas alguns exemplos, mas em resumo, ser organizado só traz benefícios, tanto para sua vida pessoal quanto para outras áreas da sua vida.

Benefícios de Um Ambiente de Trabalho Organizado

Um ambiente de trabalho organizado permitirá produtividade e criatividade. Aqui vão algumas idéias simples:

Descarte

Como na organização de qualquer ambiente comece com o descarte. Elimine catálogos velhos, folders, material que não é usado e tudo aquilo que não deveria estar lá e não serve para a execução do trabalho.

Cada Coisa em Sua Casa

Defina um local para cada item do escritório. Canetas, tesoura, arquivos, livros, agenda, papel, etc. Dessa maneira quando alguém precisar de algo, basta procurar no local determinado.

Elimine o Caos da Sua Mesa

Uma área de trabalho bagunçada reduz o espaço físico necessário para a produtividade, bloqueia a criatividade, aumenta as chances de se perder no meio do caminho e eleva drasticamente o estresse.

Certifique-se de que há espaço suficiente. Mantenha uma lixeira próxima a sua mesa, também servindo de incentivo para realizar uma manutenção diária.

Retire da sua área de trabalho todos os objetos que não precisa. Mantenha apenas algumas peças inspiradoras de que você realmente goste e que façam algum sentido, mas na parte de trás de sua mesa de trabalho (como um balcão), pois você precisa manter essas coisas fora do caminho.

Planeje seu Local de Trabalho para ser mais Funcional

Pense em como você usa este espaço diariamente. Se você com pagamento de contas, por exemplo, mantenha uma caneta, calculadora, bloco para rascunho e outros suprimentos necessários nessa área. Isso irá contribuir para tornar a sua tarefa mais fácil e eficiente.

Use Objetos Organizadores

Cestos, bandejas, organizadores de mesa, pastas e porta-arquivos. Essas ferramentas podem ajudar a tornar seu trabalho organizado e produtivo.

Mas antes de comprar qualquer uma dessas ferramentas, não se esqueça de se certificar-se que realmente será útil.

Faça as seguintes perguntas:

  • Por que eu preciso dessa ferramenta?
  • Essa ferramenta é mesmo a melhor para o meu tipo de trabalho?

Pense na Ergonomia

Se você se sente desconfortável fisicamente no seu trabalho – seus olhos se sentem cansados, seus músculos precisam constantemente de alongamento, seus punhos e costas doem, etc – então é hora de você repensar e reorganizar o seu trabalho.

Para o bem de sua saúde física e conforto.

Tenha certeza que você está trabalhando em condições suficientes de iluminação. Se não for, você pode considerar alguma iluminação adicional.

Sua cadeira é desconfortável? Talvez não seja a cadeira certa para você ou talvez a altura precise ser regulada.

Se o seu pulso dói quando você usa o mouse, você precisa de um mouse pad com amortecimento . Posicione seu monitor abaixo do nível dos olhos e a uma distância confortável.

Devolva os Objetos no Lugar

Quando você estiver usando qualquer objeto no trabalho, coloque tudo de volta em seu lugar assim que terminar ou no fim do dia.

Não deixe seu espaço se transformar em um caos.

Agindo assim, da próxima vez que você retornar à sua área de trabalho, você terá um espaço convidativo, o que permitirá que você comece a trabalhar sem demora.

Mas O Que é Ergonomia?

A palavra “Ergonomia” vem de duas palavras Gregas: “ergon” que significa trabalho, e “nomos” que significa leis.

Hoje em dia, a palavra é usada para descrever a ciência de “conceber uma tarefa que se adapte ao trabalhador, e não forçar o trabalhador a adaptar-se à tarefa”.

Também é chamada de Engenharia dos Fatores Humanos, e ultimamente, também se tem preocupado com a Interface Homem-Computador.

As preocupações com a ergonomia se tornaram um fator essencial à medida que o uso de computadores evoluiu.

Conhecida comumente como estudo científico da relação entre o homem e seus ambientes de trabalho, a ergonomia tem alguns objetivos básicos que são: possibilitar o conforto ao indivíduo e proporcionar a prevenção de acidentes e do aparecimento de patologias específicas para determinado tipo de trabalho.

São constantes os estudos feitos a respeito da relação do homem com o ambiente de trabalho, o conforto ou mesmo horas de descanso.

Ambos são de grande importância, mas, poucas pessoas prestam atenção nestes detalhes.

A ergonomia vem justamente estudar estas medidas de conforto, a fim de produzir um melhor rendimento no trabalho, prevenir acidentes e proporcionar uma maior satisfação do trabalhador.

ambiente de trabalho

Qual o papel da Ergonomia para a saúde?

A ergonomia se preocupa com as condições gerais de trabalho, tais como, a iluminação, os ruídos e a temperatura, que geralmente são conhecidas como agentes causadores de males na área de saúde física e mental, mas que o estudo procura traçar os caminhos para a correção.

O seu objetivo é aumentar a eficiência humana, através de dados que permitam que se tomem decisões lógicas.

O custo individual é minimizado através da ergonomia, removendo aspectos do trabalho, que a longo prazo, possam provocar ineficiências ou os mais variados tipos de incapacidades físicas.

Nas condições em que a atividade do indivíduo envolve a operação de uma peça de equipamento, na maioria das vezes, ele passa a constituir, com este equipamento, um sistema fechado.

Este visa apresentar muitas das características de auto-regulamentação (feedback).

Como dentro de tal sistema é o indivíduo quem usualmente decide, torna-se necessário que ele seja incluído no estudo da eficiência do sistema.

Para que a eficiência seja máxima é preciso que o sistema seja projetado como um todo, com o homem completando a máquina e esta completando o homem.

Ausência da Ergonomia e Suas Conseqüências

Uma das causas da baixa produtividade pode ser o desconforto, que entre as suas várias causas está diretamente ligada à adequação do corpo frente a um determinado equipamento.

A questão da iluminação, que além de poder causar danos à visão, contribui significativamente na baixa pessoal da capacidade de produção de uma pessoa, quer seja em um escritório, indústria, como até mesmo em ambientes de trabalho mais sofisticados.

Além disso, os ruídos e mudanças de temperatura também influem negativamente neste processo.

Com relação aos problemas de coluna, o ideal ainda é a prevenção, portanto buscar no ambiente de trabalho, a adequação de cadeiras e mesas seria o ideal para protegê-la.

Mas, quando não for possível contar com um escritório mais adequado, procure sempre sentar em cadeiras com encosto reto e em casa, fuja dos sofás muito macios.

Aparentemente confortáveis, eles são um convite para que você se jogue no assento de qualquer jeito.

Mas o que fazer?

Atualmente várias empresas já buscam a melhoria da qualidade do trabalho dos empregados e já estabelecem uma série de programas como forma de incentivar a saúde do trabalhador.

Nas grandes capitais e áreas mais industrializadas, o empresariado, já consciente dos futuros problemas, está investindo neste programas, como também, em estudos sobre as vantagens da ergonomia para a melhoria da produção nas empresas.

Se por um lado, o uso da ergonomia pode sugerir maior gasto, por outro representa uma economia para a empresa e como conseqüência, a melhoria da saúde do trabalhador e da sociedade.

Ergonomia e Gerenciamento de Estresse

A palavra stress (estresse), derivada do latim e era usada com o sentido de “adversidade”, mudando esse conceito para “força” ou “pressão” e passou a ser muito estudado na investigação dos seus efeitos na saúde geral do indivíduo.

Estresse ocupacional é o tipo de estresse onde o “estressor” (agente que causa) é o estímulo gerado no ambiente de trabalho e deixa consequências físicas ou psicológicas importantes.

O ambiente de trabalho pode oferecer falta de segurança, muitas exigências e fortíssimas pressões profissionais.

O estresse é cada vez mais frequente nas últimas décadas e vem atingindo todas as faixas etárias. Preocupa pessoas, organizações e governos e acabou se transformando num problema de saúde pública, pois 2/3 dos trabalhadores sofrem deste mal.

Qual a Relação Entre Estresse, Qualidade de Vida e Ergonomia?

Qualidade de vida e estresse estão intimamente relacionados, portanto todas as ações capazes de atenuar o estresse são ações que melhoram a sua qualidade de vida.

Em mais diversos ambientes, principalmente no trabalho, podemos enfrentar diariamente situações de grandes conflitos e que, por isso, nos exigem importantes percepções e consequentemente adaptações constantes.

Daí a importância da ergonomia no controle do estresse.

Nosso organismo reage e responde a esses variados estímulos que podem representar as situações ameaçadoras de estresse que enfrentamos, e por isso, naturalmente ficamos em frequente “estado de alerta”, tentando estar sempre nos adaptando às novas exigências e nos superando a cada dia.

Doenças Mais Comuns Causadas Pelo Estresse Ocupacional

Dores de cabeça, enxaqueca, dores no estômago (gastrites), dores no corpo de um modo geral e principalmente as DORT (tendinites – inflamação dos tendões), epicondilites (inflamação dos cotovelos), síndrome do túnel do carpo (inflamação do punho), fibromialgia (dores musculares crônicas).

Principais sintomas físicos do estresse ocupacional:

  • Dores de cabeça
  • Indigestão
  • Dores musculares
  • Insônia
  • Taquicardia (frequência acelerada dos batimentos cardíacos)
  • Alergias
  • Queda de cabelo
  • Mudança de apetite
  • Gastrite
  • Dermatoses (doenças de pele)
  • Esgotamento físico e emocional
  • Doenças cardiovasculares (doenças do coração)

Para realizar um efetivo gerenciamento de estresse primeiro é necessário identificar os fatores causadores (estressores).

Com a identificação e a boa comunicação dos funcionários com a gerência, é possível tomar medidas preventivas ou curativas, fazendo do ambiente de trabalho o local ideal onde passam a maior parte de suas vidas.

Como Medir o Desempenho do Colaborador

Uma das tarefas mais difíceis do gestor é manter a equipe trabalhando unida e comprometida com as metas e sucesso da empresa. Lidar com pessoas não fácil, cada colaborador possui suas características e personalidade.

Então como encontrar uma maneira de obter o respeito de todos e manter a equipe motivada e produtive? É simples: Justiça!

Algo que ninguém tolera é a injustiça, e muitos colaboradores se veem injustiçados. Você já deve ter se deparado com burburinhos como estes:

  • “Trabalho muito e não tenho reconhecimento”
  • “Fulano chega sempre atrasado e ninguém fala nada”
  • “Fulano passa o dia no Facebook e eu aqui me matando”

Estes são só alguns exemplos do que uma má administração de equipe pode ocasionar. A mente do ser humano funciona assim: “Se ele ganha o mesmo que eu e não faz nada, porque eu devo fazer?”

Quando seus melhores talentos começarem a pensar dessa maneira, sua produtividade descerá ladeira a baixo! Você não pode deixar que as coisas cheguem a esse ponto.

Você deve manter sua equipe em um nível sadio de competição, sempre puxando para cima. Sua equipe deve formar exemplos, um colaborador deve ver o esforço do outro e pensar “Fulano tem dado duro e foi reconhecido, vou me esforçar para produzir tanto ou mais do que ele!”

E a única maneira de você jogar limpo e transparente com sua equipe é ter dados concretos para apresentar. A Avaliação de Desempenho não é um plus que grandes empresas devem ter. É uma realidade que TODAS as empresas deveriam se preocupar.

O capital humano é o maior ativo de qualquer empresa. Pense comigo:

  • Você tem CERTEZA de qual funcionário é seu melhor talento?
  • Você tem CERTEZA de qual colaborador é o mais produtivo?
  • Quantos colaboradores da sua equipe chegaram atrasado nos 2 últimos meses?
  • Quantos colaboradores da sua equipe faltaram e apresentaram atestado nos últimos 6 meses?

Se você é um gestor de equipe, você deveria ter todos estes dados a poucos cliques de alcance. Deveria possuir um sistema atualizado com tudo o que acontece na sua equipe, e assim ter total controle sobre ela.

Como recompensar o melhor colaborador e evitar perdê-lo para um concorrente por falta de reconhecimento? Como planejar ações de melhoria e desenvolvimento para seus colaboradores que podem render mais?

Como saber quais competências cada colaborador tem de melhor, e desenvolver e a primorar as que possui deficiência?

A resposta para todas as perguntas é: Avaliação de Desempenho.

Com a Avaliação de Desempenho você resolve todas estas situações:

Um colaborador foi demitido e acionou sua empresa na justiça: Com a Avaliação de Desempenho, você terá dados concretos e atualizados (desde a entrada do funcionário na empresa até sua saída) e poderá justificar o porque da demissão.

Terá anotações de cada atraso, de cada conduta equivocada ou falta de preparo para exercer a função requerida, tendo assim uma base sólida para se defender.

Evitar que “Uma maçã podre estrague o cesto de frutas”: Um colaborador revoltado causa grandes danos a uma equipe. Fora o próprio desempenho ruim, pode instigar seus colegas a também fazerem corpo mole ou sabotar a empresa por algum motivo.

Com a avaliação de desempenho, você terá subsídios para refutar qualquer argumento que este colaborador tenha para infectar a equipe. Mostre ao resto da equipe que as reclamações dele não tem fundamento, baseado em dados concretos que ele não poderá negar.

Evitar Gastos Desnecessários Com Treinamentos Equivocados: É muito comum nas empresas, equipes inteiras receberem treinamentos. Mas, isso é correto? Não seria bem mais assertivo que cada colaborador recebesse o treinamento que mais precisa para se qualificar, ou para exercer melhor a sua função?

Com a Avaliação de Desempenho, você consegue filtrar cada competência em que seu colaborador é melhor e pior, e assim estabelecer o Plano de Desenvolvimento Individual para que ele se qualifique da melhor maneira possível.

Clique no link abaixo e conheça a ferramenta que irá transformar os resultados dos seus colaboradores.

>> Clique Aqui e conheça o Software Avaliação Gratuitamente <<

 

Ambiente de Trabalho | Como Criar Um Bom Ambiente Na Sua Empresa!22 min read
5 (100%) 10 votes


E-book Grátis

Descubra os 10 passos infalíveis para uma Avaliação de Desempenho Perfeita.

Informe seu e-mail ao lado

100% livre de spam.