Administração Científica | Ensinando A Produzir Mais E Melhor15 min read


Um dos primeiros teóricos nas questões de gestão foi Frederick Winslow Taylor, que iniciou o movimento de administração científica e, juntamente com seus associados, estudaram o processo de trabalho.

Eles estudaram como o trabalho era realizado e analisaram como isso afetava a produtividade do colaborador. A filosofia de Taylor focava na crença de que, fazer as pessoas trabalharem o mais que podiam, não era tão eficiente quanto otimizar a maneira como o trabalho era feito.

As pessoas administram o trabalho há centenas de anos e podemos traçar ideias formais de gerenciamento até o século XVIII. Mas os desenvolvimentos mais significativos na teoria da gestão surgiram no século XX.

Devemos muito do nosso entendimento das práticas gerenciais aos muitos teóricos desse período, que tentaram entender a melhor forma de conduzir os negócios.

administração científica

Histórico da Administração Científica

Em 1909, Taylor publicou “Os Princípios da Gestão Científica”. Ele propôs que, otimizando e simplificando os trabalhos, a produtividade aumentaria. Ele também avançou a ideia de que colaboradores e gerentes precisavam cooperar uns com os outros.

Isso era muito diferente do modo como o trabalho era tipicamente feito tipicamente nas empresas de um modo geral. Naquela época, um gerente de fábrica tinha muito pouco contato com os colaboradores e os deixava sozinhos para produzir o que fosse necessário.

Não havia padronização, e a principal motivação de um trabalhador frequentemente era o emprego contínuo, de modo que não havia incentivo para trabalhar da maneira mais rápida ou eficiente possível.

Taylor acreditava que todos os colaboradores eram motivados pelo dinheiro. Então ele promoveu a ideia de um dia de pagamento justo por um dia de trabalho justo.

Em outras palavras, se um trabalhador não conseguiu o suficiente em um dia, ele não merecia ser pago tanto quanto outro trabalhador altamente produtivo.

Com formação em engenharia mecânica, Taylor estava muito interessado em eficiência. Ao avançar sua carreira em um fabricante de aço dos Estados Unidos, ele projetou experimentos no local de trabalho para determinar os níveis ideais de desempenho.

Em um deles, ele experimentou o projeto de pá, até ter um projeto que permitisse que os trabalhadores trabalhassem por várias horas seguidas.

Com pedreiros, ele experimentou os vários movimentos necessários e desenvolveu uma maneira eficiente de colocar tijolos. E ele aplicou o método científico para estudar a maneira ideal de realizar qualquer tipo de tarefa no local de trabalho.

Como tal, ele descobriu que, calculando o tempo necessário para os vários elementos de uma tarefa, ele poderia desenvolver a melhor maneira de completar essa tarefa.

Esses estudos de tempo e movimento também levaram Taylor a concluir que certas pessoas poderiam trabalhar com mais eficiência do que outras.

Essas eram as pessoas que os gerentes deveriam procurar contratar sempre que possível. Portanto, selecionar as pessoas certas para o trabalho era outra parte importante da eficiência no local de trabalho.

Tomando o que aprendeu com esses experimentos no local de trabalho, Taylor desenvolveu quatro princípios de gestão científica. Esses princípios também são conhecidos simplesmente como taylorismo.

Quatro Princípios da Administração Científica

Os quatro princípios de Taylor são os seguintes:

  • Substitua o trabalho por “regra geral”, ou simples hábito e bom senso, e use o método científico para estudar o trabalho e determinar a maneira mais eficiente de realizar tarefas específicas.

A alternativa era ser científica e forneceria uma chance para os gerentes estarem em posição de analisar o problema que a administração enfrenta em suas organizações.

O uso de uma abordagem científica foi colocar em prática os experimentos sistemáticos. Ele acreditava que a aplicação desses experimentos resultaria em uma solução para os problemas enfrentados na administração e durante o processo de produção.

Taylor recebeu fama aclamada por suas ideias de que uma abordagem científica pode ser aplicada no processo de tomada de decisão gerencial.

  • Em vez de simplesmente atribuir qualquer trabalho aos colaboradores, associe-os às tarefas com base na capacidade e motivação, e treine-os para trabalhar com a máxima eficiência.

O segundo princípio envolve a seleção científica, oferecendo sessões de treinamento e fornecendo desenvolvimento de trabalho para cada colaborador.

Isso era o contrário dos métodos anteriores, que envolviam administração desorganizada e deixavam que os colaboradores governassem a si mesmos, assim como se treinassem em várias tarefas nas fábricas.

Neste segundo princípio da administração científica, Taylor observou que a pessoa altamente qualificada ocupará as posições de topo nas organizações e, assim, conduzirá as outras de maneira sistemática e eficiente.

Por aplicação de uma gestão sistemática, foi desenvolvido um sistema de pagamento que considerou a quantidade de produção do colaborador, bem como a eficiência na produção de bens e serviços de qualidade. Este princípio aumentou a eficiência nos locais de trabalho e melhorou o sistema de gestão.

  • Monitore o desempenho do colaborador e forneça instruções e supervisão para garantir que estejam usando as formas mais eficientes de trabalhar.

O terceiro princípio da administração científica envolveu os gerentes que desenvolvem relações de trabalho formais, através do estabelecimento de trabalho em equipe para assegurar que os métodos desenvolvidos cientificamente estavam sendo cumpridos pela força de trabalho.

Para desenvolver este princípio, Taylor mediu o desempenho dos colaboradores com os estudos de cronômetro e movimento, a fim de chegar a um processo eficiente, que levaria a realizações das tarefas de trabalho em tempo hábil.

Seus experimentos foram cruciais para determinar a quantidade de trabalho que um homem poderia realizar em um dia. Isso foi para acabar com a tendência dos colaboradores de desempenhar suas funções de forma lenta nas fábricas. Seus experimentos indicariam os padrões que devem ser alcançados pelos trabalhadores para aumentar o desempenho.

  • Aloque o trabalho entre gestores e colaboradores para que os gestores gastem seu tempo planejando e treinando, permitindo que os colaboradores desempenhem suas tarefas com eficiência.

O quarto e último princípio envolvia garantir a divisão igual de trabalho entre os gerentes e seus colaboradores. Ao fazê-lo, os gerentes utilizariam os princípios da administração científica no planejamento de tarefas em suas organizações, enquanto os trabalhadores de seu lado atualizariam as tarefas de maneira oportuna.

Vale a pena notar que esses princípios foram colocados em uso em várias fábricas em todo o mundo. Sua aplicação geralmente teve um efeito positivo, aumentando sua produtividade em três ou mais vezes.

Taylor acreditava firmemente que a administração científica aumentaria a eficiência das indústrias, o que levaria ao aumento dos salários, à produção de produtos de baixo custo e à melhoria dos padrões de vida dos colaboradores e de suas famílias.

No entanto, suas ideias não casaram bem com os sindicatos que estavam em ascensão durante esses tempos, lutando pelos direitos dos operários.

Devido a isso, sua influência foi reduzida até o final da Primeira Guerra Mundial. Os engenheiros da indústria da Ford conseguiram padronizar suas rotinas de trabalho, sendo guiadas pelos princípios da administração científica.

Eles foram capazes de aumentar sua produção e a Ford ganhou reconhecimento em todo os EUA para a produção de veículos a motor de qualidade.

A administração científica de Taylor teve uma grande influência no desenvolvimento das teorias atuais de gerenciamento. Suas ideias influenciaram dois campos da administração, que são o setor de gestão de recursos humanos e os departamentos de contabilidade dentro de uma organização.

Ele contribuiu para os procedimentos de contabilidade de custos nas indústrias de manufatura. Enquanto trabalhava na Simonds Company, formulou um sistema de contabilidade para a empresa.

Mais tarde, aperfeiçoou seus métodos criando uma técnica de custeio padronizada para sistemas ferroviários. Suas ideias formaram uma base para o desenvolvimento de técnicas de controle orçamentário em qualquer organização, de modo a garantir um fluxo livre de dinheiro para os custos de produção e para o pagamento de salários e vencimentos.

Isso garantiu uma melhor gestão nessas indústrias. O segundo e terceiro princípios da administração científica, como discutido acima, influenciaram o desenvolvimento da gestão de recursos humanos.

Outros estudiosos seguiram esses princípios para apresentar vários aspectos de recursos humanos como o gerenciamento por objetivos de Drucker, que podem ser atribuídos à aplicação de Taylor dos sistemas diferenciados de taxa por peça, para garantir a eficiência dos colaboradores.

Taylor recebe atributos até para o ensino e desenvolvimento de cursos de gestão. Ele lecionou sobre administração em Harvard, moldando as mentes dos futuros empresários e administradores que aplicam seus ensinamentos ao mundo atual.

administração científica

Administração Científica e sua Influência nas Práticas Empresariais Modernas

Taylor era da opinião de que os colaboradores precisavam ser supervisionados em todos os momentos, para garantir que eles executassem plenamente suas tarefas e a produtividade das fábricas aumentasse.

Seus críticos, no entanto, desaprovaram a ideia de levar os trabalhadores a serem encarados como máquinas sem sentimentos psicológicos. Não concordavam com a ideia de que as ambições humanas são altamente motivadas pelas recompensas que recebem em forma de salários.

Para provar seu ponto de vista, os críticos desenvolveram o que é denominado como comportamento organizacional que foi feito para contrapor as ideias de Taylor.

Isso ocorreu na década de 1930, depois que experimentos foram realizados para determinar o que realmente influenciava o moral dos trabalhadores e sua eficiência na produção.

Os experimentos de Hawthorne provaram o contrário do que Taylor havia postulado. Em um caso específico, foi realizado um estudo para descobrir o que aumentou a produtividade dos trabalhadores na fábrica de Hawthorne Works.

Notou-se que um aumento na iluminação nas oficinas foi capaz de aumentar a produtividade, já que os trabalhadores trabalhavam em áreas bem iluminadas.

Na verdade, outras questões ficaram sem resposta, não se sabendo realmente o que causou o aumento da produtividade.

Deixados sem outras opções, os pesquisadores tiveram que procurar ajuda técnica da Universidade de Harvard, onde vários profissionais apareceram.

O grupo consistia de sociólogos, psicólogos chefiados pelo famoso psicólogo clínico Mayo Elton e antropólogos. Esses especialistas puderam concluir que o que levou ao aumento da produção, foi devido à presença de supervisores ao longo do período em que os estudos estavam sendo realizados.

Essa observação tornou-se conhecida como o efeito Hawthorne e foi significativa para as relações humanas nos locais de trabalho e levou à melhoria do estudo do comportamento organizacional.

O Nascimento do Espírito de Equipe

Vários outros estudos foram realizados depois que Hawthorne experimentou para tentar descobrir o fator real por trás da motivação humana. Em outros experimentos, McGregor postulou uma teoria comumente referida como Teoria X e Teoria Y para distinguir entre os fatores que influenciam a motivação humana.

De acordo com a Teoria X, os trabalhadores obtinham sua motivação de recompensas em termos de dinheiro que recebiam depois do trabalho que tinham feito, enquanto a Teoria Y observava que os homens obtinham suas motivações de um desejo interior de atingir auto realização em qualquer tarefa a que fossem solicitados.

Ao contrário da administração científica de Taylor, essa teoria foi capaz de reconhecer a capacidade das pessoas de ter uma motivação interna que aumentou sua capacidade de fazer o trabalho, em vez de se concentrar apenas no que recebiam como salários e vencimentos.

Assim, as perspectivas sociais de uma pessoa começaram a ganhar reconhecimento nos locais de trabalho para aumentar a produtividade. Os gerentes das fábricas começaram a considerar o bem-estar social de seus trabalhadores enquanto estavam nos postos de trabalho e, por fim, fortaleciam as relações nas fábricas.

Isso trouxe espírito de equipe e dependência um do outro para atingir um objetivo comum. Várias organizações de assistência social que estiveram envolvidas na luta pelos direitos dos trabalhadores foram formadas e ainda estão no mundo do século XXI.

Taylor, com sua administração científica, estabeleceu uma base em torno da qual vários outros estudos foram conduzidos para melhorar a situação dos trabalhadores em seus locais de trabalho e, ao mesmo tempo, assegurar que a produtividade seja mantida para garantir o sucesso das organizações e empresas.

A gestão organizacional ganhou reconhecimento no mundo atual e os gerentes são profissionais com conhecimento especializado no processo de gerenciamento. Grandes CEOs em diferentes organizações devem ter alcançado um certo nível de conhecimento e experiência em gestão.

A administração científica de Taylor formou uma base para a pesquisa operacional que está presente hoje em várias organizações. Tanto a pesquisa operacional quanto a gestão científica visam aumentar a eficiência nas operações dos trabalhadores, através da aplicação de meios científicos e análises sistemáticas para chegar a uma conclusão válida.

Os proponentes da gestão científica, como o próprio Taylor, Gilbreth e Gantt foram os fundadores do processo de pesquisa operacional. De fato, algumas das técnicas que eles aplicaram em seus estudos para fornecer eficiência ainda estão em uso, até mesmo atualizadas.

Por exemplo, Gantt, em seus estudos, usou um gráfico que envolvia tempo de planejamento e tarefas a serem executadas de modo a atingir a máxima produtividade.

Ele veio a ser conhecido como o gráfico de Gantt e ainda está em uso hoje, especialmente nas áreas de gerenciamento de projetos. Apesar das pesquisas operacionais ganharem crescimento como um ramo por conta própria, ele incorpora os princípios de Taylor em sua aplicação.

Continua a aplicar métodos científicos com o objetivo de melhorar a eficiência, que é atribuída à gestão científica de Taylor.

administração científica

A Administração Científica Ganha o Mundo

A teoria da administração científica de Taylor ganhou reconhecimento nos EUA e em todo o mundo. Seus princípios foram testados por muitos gerentes em suas fábricas para aumentar a eficiência.

Seu livro foi traduzido para diferentes idiomas e sua influência passou a ser sentida fora dos EUA. Os japoneses liderados por Takuo Godo utilizaram alguns dos princípios de Taylor para testar a produtividade dos trabalhadores japoneses durante a Exposição de Eficiência de Osaka.

Takuo pode assinalar que os trabalhadores britânicos eram 5,3 vezes mais produtivos que os do Japão, enquanto o trabalhador americano era sete vezes mais do que o trabalhador japonês.

Em sua busca por maior eficiência, os japoneses tiveram que aplicar alguns dos princípios de Taylor. O trabalho de Taylor foi tão longe para influenciar o sistema de produção da Toyota, que garantiu que produtos de qualidade fossem produzidos e, ao mesmo tempo, aumentava a eficiência de seus trabalhadores.

A aplicação da gestão científica melhorou o sistema de produção da Toyota, levando ao seu sucesso. Esses princípios foram incorporados com ideias novas com o passar do tempo, para fornecê-las de modo a colher todos os seus benefícios.

O sucesso da Toyota é visto ainda hoje devido à alta exportação de seus automóveis para vários países em todo o mundo.

A administração científica de Taylor serviu para moldar os comportamentos testemunhados nas organizações de hoje. No entanto, várias melhorias nos princípios de Taylor foram feitas por vários outros estudiosos.

Por exemplo, Henry Fayol foi capaz de integrar os aspectos sociais dos trabalhadores aos princípios. Para o sucesso de qualquer organização, a liderança eficaz é fundamental.

É por essa razão que gerentes eficazes são procurados por muitas instituições para obter sucesso e superar a alta competição que tem sido presenciada no mundo atual.

Quão bem um líder é capaz de influenciar a equipe que ele está liderando, levará ao sucesso ou ao fracasso da organização. Para que um líder seja capaz de liderar, ele deve ganhar e aplicar poder para ver que o trabalho é realizado de acordo com os padrões fornecidos.

Eles trabalham no reforço de suas próprias posições organizacionais e, ao mesmo tempo, se esforçam para alcançar os objetivos amplos e estratégicos de suas organizações.

A modernização e as formações do sindicato dos trabalhadores serviram para moldar os princípios científicos propostos por Taylor. Com isso em mente, vale a pena notar que os princípios de administração científica de Taylor, embora propostos há mais de um século, estão sendo sentidos mesmo nas práticas modernas das instituições.

Clique no link abaixo e conheça a ferramenta que irá transformar os resultados dos seus colaboradores.

>> Clique Aqui e conheça o Software Avaliação Gratuitamente <<

 

Administração Científica | Ensinando A Produzir Mais E Melhor15 min read
Qual pontuação você daria?


E-book Grátis

Descubra os 10 passos infalíveis para uma Avaliação de Desempenho Perfeita.

Informe seu e-mail ao lado

100% livre de spam.