Planejamento Estratégico Pessoal | Como Ser Um Melhor Profissional


Planejamento Estratégico Pessoal é um processo gerencial que diz respeito à formulação de objetivos, seleção de ações e sua execução, levando em conta as condições internas e externas à pessoa, assim como, sua evolução esperada.

São estabelecidas premissas básicas que a pessoa deve respeitar para que todo o processo tenha coerência e sustentabilidade.

O planejamento estratégico pessoal possibilita melhores decisões, um estilo de vida com mais qualidade, otimização do tempo, melhora nos relacionamentos, promoção da saúde, estabilidade financeira e principalmente maior significado à nossa existência.

O primeiro passo para a realização de um planejamento estratégico pessoal é a definição de nossa missão, visão e valores.

Missão é a finalidade que dá sentido à existência de alguma coisa. Por exemplo: um vaso tem a missão de armazenar a terra e a flor, para tornar belo o ambiente.

Nós, seres humanos, também temos uma missão, ou seja, nascemos com uma finalidade e é ela que dá sentido à nossa vida.

Visão é o alcance da nossa percepção, o nível do nosso discernimento e da nossa inteligência.

Valores são os nossos princípios e crenças. Aquilo em que acreditamos.

planejamento estratégico pessoal

Por que Fazer um Planejamento Estratégico Pessoal

“Penso, logo existo.” [Descartes]

“Não deseje, não sofra.” [Buda]

De uma forma bastante simplista essas duas frases poderiam sintetizar a fórmula da felicidade: pense, exista, não deseje, não sofra: seja feliz! Será?

Não vamos nos ater a esta questão. Discutir as origens, os meios e os fins para a felicidade, não é nossa intenção.

Para não mais evoluirmos neste contexto, marcaremos um limite com um pensamento de Freud: “A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz”.

As frases marcam início e fim do que realmente pretendemos discutir no presente texto: planejamento estratégico pessoal.

Mudanças recentes no mundo corporativo interferem cada vez mais na vida privada das pessoas.

CPF’s, CNPJ’s e endereços são limites ultrapassados para as atividades das Pessoas Físicas e Jurídicas.

Com o advento do Empreendedorismo, Micro Empreendimentos Individuais e Home Offices assumem importantes papeis na integração dos mundos corporativo e doméstico.

“Não leve trabalho para casa” e ”Deixe seus problemas do lado de fora da empresa”, são frases que, cada vez mais, perdem o sentido.

Isso tudo está criando certo incremento na ansiedade por resultados, que tem como consequência direta o agravamento de uma de nossas maiores deficiências em planejamento: não sabemos o que queremos!

Uma das mais importantes descobertas da psicologia moderna é o fato de que seres humanos são muito (mas muito mesmo!) ruins ao preverem sentimentos futuros.

Diversas pesquisas feitas nos últimos 20 anos em universidades ao redor do mundo provam algo perturbador: nós não sabemos o que queremos!

Isto nos leva a uma conclusão igualmente perturbadora: parte de nossa infelicidade está ligada às nossas expectativas.

Vivemos esperando pelo futuro, mas como somos ruins em prevermos o que realmente queremos, quando o futuro chega, nós não gostamos dos resultados e continuamos a esperar por outras coisas.

A vida, então, se torna uma longa espera pela felicidade, que parece nunca nos alcançar.

Todos nós sonhamos em possuir coisas, fazer uma viagem, comprar um lindo carro, apartamento, viver com mais conforto, ser feliz, etc, etc, etc.

Porém o que, realmente, podemos fazer no nosso dia-a-dia para atingir estes sonhos?

A resposta está em uma palavra: PLANEJAMENTO!

O modelo de Planejamento Estratégico Pessoal largamente utilizado nas empresas, pode, também, ser utilizado por pessoas que podem se beneficiar dessas ferramentas, aplicando-as para planejar melhor suas vidas e alcançar os seus objetivos, bastando para isso, adequar ao estilo / personalidade de cada um para ter um documento de Planejamento Estratégico Pessoal.

Com o Planejamento Estratégico Pessoal, não se pretende adivinhar o futuro, até porque, como já vimos, somos péssimos nisso.

O intuito é traçar objetivos futuros viáveis e propor ações para alcançá-los.

Pirâmide das Realizações

planejamento estratégico pessoal

A Pirâmide das Realizações demonstra como a personalidade de uma pessoa que aplica seu potencial de realização em nível máximo é construída.

A maior parte das pessoas que apresenta problemas de produtividade, performance ou continuidade tem deficiências em algumas áreas na base da pirâmide.

Considere como “base da pirâmide” as características que constituem a postura mental e a atitude.

Se estes dois fatores estiverem bem equilibrados, todo o resto se desenrola como consequência natural.”

Neste ponto é oportuno considerarmos o primeiro elemento da resiliência: a introspecção. A vida por natureza e inevitavelmente, tem montanhas. Nenhum túnel existencial existe, sempre terá de ser construído.

Isto posto, responda:

  • Quais são minhas montanhas existenciais?
  • Que devo fazer para atravessar essas montanhas?
  • Que condutas devo adotar para aplanar essas montanhas?
  • Que coisas deslumbrantes devo me esquivar para manter meu rumo?
  • Que maneiras (modos de ser), que habilidades (saber fazer), que recursos (coisas) tenho para perfurar minhas montanhas existenciais?
  • Que novas ideias, atitudes e emoções vou introjetar em meu cérebro para que minha existência seja um túnel iluminado?

Elaborando o Planejamento Estratégico Pessoal

Caso não esteja familiarizado com as ferramentas do Planejamento Estratégico Empresarial, veja o modelo que apresentaremos a partir de agora:

  • Declare a sua Missão

“Constituir e manter um network forte e solidário, garantir o desenvolvimento profissional, promover a amizade entre os pares, buscar o desenvolvimento dos negócios e na sociedade em minha volta, agregando cada vez mais valor com minhas ações.”

  • Declare a sua visão

“Ser o melhor profissional da área, ser uma pessoa mais completa e atuante na área profissional e na sociedade.”

  • Desenvolva suas Estratégias

Para se estabelecer estratégias, deverá ser elaborada previamente uma consistente Análise Situacional (Ambientes Externos e Internos) e uma Análise SWOT (do inglês Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças).

Depois disso a pessoa estará pronta para compor a lista de ações que precisa fazer ou decidir, considerando o ambiente, para atingir os objetivos, respeitando os princípios, visando cumprir a sua missão pessoal.

Estabelecer as estratégias, talvez seja o momento mais “complicado” do Planejamento.

Para facilitar as coisas vejamos essa história:

Um velho vivia sozinho em uma cidadezinha. Ele queria cavar seu jardim, mas era um trabalho muito árduo.

Seu único filho, que antes o ajudava, estava na prisão. O velho então escreveu a seguinte carta ao filho:

“Querido Filho, estou triste, ao que parece, não vou poder plantar o jardim este ano.

Detesto isso porque sua mãe adorava a época do plantio depois do inverno. Mas estou velho demais para cavar a terra.

Se você estivesse aqui, eu não teria esse problema, mas sei que você não pode me ajudar…
Com amor,
Papai”.

Pouco depois o pai recebeu o seguinte telegrama:

“PELO AMOR DE DEUS, papai, não escave o jardim! Foi lá que eu escondi os corpos”.

Às quatro da manhã, policiais apareceram e cavaram o jardim inteiro, sem encontrar nenhum corpo.

Confuso, o velho escreveu uma carta para o filho contando o que acontecera. Esta foi a resposta:

“Pode plantar seu jardim agora, papai. Isso é o máximo que eu posso fazer no momento”.

Nada como uma boa estratégia, para conseguir coisas que parecem impossíveis. É importante repensar as pequenas coisas que muitas vezes, nós mesmos colocamos como obstáculos.

  • Estabeleça seus Objetivos, Princípios e um Plano de Ação

Usar a missão para facilitar a compreensão das necessidades pessoais e profissionais, descobrindo onde deve concentrar esforços, fazendo que se torne uma pessoa eficaz, na medida em que atua na hora certa em coisas que agreguem valor.

Os objetivos e os princípios serão a alavanca para melhorar os pontos fortes, explorar os pontos fracos e para converter as ameaças em oportunidades.

Este será o ambiente para conduzir o plano e executar as ações de forma firme, sensata e honesta.

  • Estabeleça itens de controle – avaliação de resultados

As formas para medir os intentos serão:

  • O ambiente a sua volta
  • As pessoas ao seu redor
  • Sua saúde
  • Seu grau de felicidade
  • Número de pessoas de contato direto
  • Dias de férias com a família
  • Horas de entretenimento; horas de treinamento; etc; etc; etc.

O seu documento de Planejamento Estratégico Pessoal deve ser o norte, onde a missão deve ser estabelecida e guiada pelas crenças implícitas na visão.

Isso deve acontecer de tal forma que permitam um duradouro desenvolvimento e sucesso nos negócios e na vida pessoal, resultando numa imagem pública melhor e onde derivem para outras recompensas advindas da nova postura e atitude, que pode ser: mais dinheiro e sucesso nos negócios, satisfação, realização pessoal e porque não: felicidade!

planejamento estratégico pessoal

Importância do Planejamento Estratégico Pessoal

Em meio a um contexto pós-moderno, que requer cada vez mais dos indivíduos, esforço, dedicação e uma prática eficiente e eficaz ante às pressões familiares, profissionais, sociais, econômicas e também pessoais, torna-se um desafio de grandes proporções, o alcance de um Planejamento Estratégico Pessoal condizente aos objetivos e metas do sujeito.

Planejar a carreira e a vida pessoal atualmente tem sido uma tarefa fundamental para qualquer pessoa independente da área em que atue, pois com as constantes mudanças do mercado, possuir a garantia de um emprego estável é uma ilusão.

O momento mostra o quanto é importante realizar um planejamento de carreira, seja para quem está entrando no mercado de trabalho, como para quem já possui uma carreira e deseja manter o nível de atratividade de seu currículo.

Na vida pessoal a constatação se expressa através de conquistas e realizações, mobilização para atingir sucesso e construir o seu futuro, por meio de um comportamento proativo, considerando seu ambiente atual e futuro.

Se buscarmos na grande área da administração, os conceitos e implicações do Planejamento Estratégico, entenderemos que, seu objetivo maior, seria oferecer bases seguras para que uma empresa tenha uma condução de sucesso, em meio às mudanças inerentes ao contexto vivido nos negócios.

Para isso, intenta-se sempre avaliar os resultados obtidos no passado, seu contexto atual, e as possibilidades que se mostram à frente, a fim de tomar decisões acertadas, para que seja possível atingir com sucesso os objetivos e metas estipuladas.

O planejamento estratégico tem o objetivo de proporcionar bases necessárias para as manobras que permitam que as organizações naveguem e se perpetuem mesmo dentro de condições mutáveis cada vez mais adversas em seu contexto de negócios.

Um bom planejamento estratégico, inclui a análise da situação atual, a análise do ambiente, a análise interna, a definição de objetivos e estratégias, a implementação da estratégia e o monitoramento e controle.

Além disso, a análise a e organização das atividades entre urgentes e não urgentes, importantes e não importantes, também fazem parte de um planejamento indispensável no que se refere a discriminar e executar as tarefas de maneira a focar prioridades.

Sendo assim, transpondo tal metodologia, para uma instância individual, o Planejamento Estratégico Pessoal pode ser visto como uma boa ferramenta.

Este planejamento viabiliza um norte à vida do indivíduo, onde as metas devem ser estabelecidas e guiadas pelas crenças, expectativas e análise geral de cada pessoa, de tal forma que enriqueça o desenvolvimento e sucesso nos negócios e na vida pessoal.

Para a realização de um bom Planejamento Estratégico Pessoal, precisa-se estabelecer uma visão, explicitando o que se espera e acredita para o seu futuro.

Para isto, se faz necessário imaginar-se daqui a alguns anos.

Propor uma estratégia de ações considerando o ambiente para atingir os objetivos, respeitando os princípios e visando cumprir a missão pessoal.

Precisa-se também, delinear os objetivos, manter uma atitude empreendedora e o encorajamento para alcançar tais intentos.

Sendo assim, diante deste cenário pós-moderno, de falta de tempo; de falta de limites entre trabalho, lazer e estudos; de trabalho compulsivo, e, consequentemente, de stress, um Planejamento Estratégico Pessoal e uma boa autogestão se fazem indispensáveis, para que o indivíduo não se perca ante as múltiplas atividades que requerem sua dedicação.

E assim, não venha a sucumbir à desorganização, à preocupação excessiva, à ansiedade patológica e ao desespero.

Sintomas estes, tão comuns à muitas pessoas de nossa sociedade, infelizmente.

O Planejamento Estratégico Pessoal, portanto, se mostra como recurso valoroso no que tange à sua implementação na vida pessoal.

E acima de tudo, entende-se que, um bom Planejamento Estratégico Pessoal, com objetivos e metas claras, apresenta-se como um instrumento propiciador de organização.

Ele promove o alcance de resultados almejados com sucesso e eficácia, bem como a diminuição de preocupações e ansiedades excessivas, decorrentes do contexto pós-moderno, agitado e turbulento, em que se vive hoje.

Resistência a Mudanças?

É notório de mogo geral, o quanto as pessoas são carentes deste tema e como este assunto parece ser um mito.

É muito interessante e necessário, dizem, mas pouco se fala a respeito de uma maneira simples, que possibilite as pessoas saírem por aí mais conscientes e cientes do que poderão realizar efetivamente e principalmente de quais ações necessitarão para colocar em prática suas ideias e objetivos de vida.

Estratégia é ver o que há de futuro no presente.

Contudo, o termo estratégia causa insegurança às pessoas ou, no mínimo dúvidas de como colocar a teoria em ação e prática.

Pois bem, vamos por parte: Planejamento Estratégico Pessoal está diretamente ligado ao que você deseja da vida, é o imaginar-se onde estará daqui a um tempo.

Quando alguém nos faz esta pergunta, a resposta não sai na hora. Ficamos um tempo pensando se o que vamos falar é mesmo o que está em nosso pensamento e em nosso coração.

Se o Planejamento Estratégico Pessoal estiver alinhado à nossa missão de vida, aos nossos valores e às nossas escolhas, tudo bem.

Se não, nos deixa a sensação de que vamos nos arrepender depois se fizermos algo errado ou inadequado. Qual a melhor opção?

Pense assim: para tudo na vida é preciso ter planejamento, literalmente tudo.

Se você vai sair, tem que pensar que roupa vai vestir, prever se vai chover, se vai fazer frio.

Se for para uma entrevista de emprego, tem que pensar o que vai dizer, o que pretende com esse emprego.

Outro ponto é a ação: saber o que fazer em cada etapa ou fase do planejamento.

Este discurso de que no momento oportuno eu resolvo, não cabe mais. Não para quem sabe o que quer fazer da vida.

A questão é que em geral, as pessoas não querem pensar, querem as coisas prontas.

Em relação ao que se tanto fala sobre compartilhamento de ideias, hoje nada se cria, nada se copia… Furta-se como se fôssemos meliantes, ladrões mesmo do pensamento e das ideias de alguém.

Ora, como posso imaginar que furto a ideia de alguém, isso não é antiético?

Não agora onde uma das palavras de ordem da vida moderna é o compartilhamento.

Enquanto ficarmos perdendo tempo e energia ao tentar reinventar a roda, deixamos de lado o potencial de desenvolvimento humano e profissional que nos é de direito e nos tornamos operadores de máquinas e não gestores da nossa vida.

Consequentemente ficamos muito operacionais e pouco estratégicos. E uma empresa não vive só de operação, precisa de ação e de movimento.

Se não consigo gerir a mim mesmo, não conseguirei ser um bom colaborador de ninguém.

Não se pode gerir o que não se consegue medir, portanto, faça um levantamento de seu banco de dados, entenda o que quer, aonde quer chegar e de que maneira, identifique que tipo de profissional você é, quais os seus diferenciais competitivos, o que outras pessoas estão fazendo e você não.

Este parece ser o caminho mais seguro para começar a pensar em planejar-se estrategicamente.

planejamento estratégico pessoal

Atitudes dos Profissionais de Alta Performance – Para Incluir no Seu Planejamento Estratégico Pessoal

Hábitos são comportamentos que determinada pessoa aprende e repete frequentemente, sem pensar como deve executá-lo.

Uso, costume, maneira de viver, modo constante de comportar-se, de agir e de ver o mundo.

Muitas ações da vida cotidiana constituem hábitos. Imagine como seria difícil para uma pessoa executar uma simples atividade como caminhar ou descer uma escada se tivesse que pensar em cada um dos atos necessários a dar cada passo.

O hábito difere do instinto, que é um comportamento inato, não aprendido.

São sinônimos de hábitos as palavras: aspecto, costume, fácies, habitude, praxe, rotina, usança, uso, vestes, vestimenta e vezo.

Hábitos são comportamentos e atitudes que podem ser adquiridos e ou desenvolvidos.

Listamos abaixo alguns deles que aliados a um bom Planejamento Estratégico Pessoal são vitais para o êxito na vida profissional.

  • Crie o hábito de pensar

Procure dedicar alguns minutos do seu tempo, diariamente, para pensar e refletir sobre você mesmo, sua carreira, a empresa em que trabalha, e/ou lugar onde estuda e suas relações com as pessoas que o cercam e com o planeta.

  • Crie o hábito de anotar

Procure anotar tudo aquilo em que pensar, mesmo que seja algo improvável ou que você considere insignificante.

  • Trace os seus objetivos

Faça uma lista dos seus objetivos e do que é necessário fazer ou ter para alcançá-los. Organize-se e planeje-se, pois assim tudo fica mais fácil e lógico.

  • Não desperdice as oportunidades

Muitas oportunidades estão soltas por aí para o primeiro que pegar. Fique atento e aberto às oportunidades que aparecerem pela frente e tenha calma para selecioná-las.

  • Fique atento às informações

Preste atenção ao seu redor. Aprenda a observar, perguntar e ouvir. Mantenha sua rede de contatos sempre atual, sempre funcionando. Hoje, os contatos são tão importantes quanto uma carteira de clientes.

  • Crie o hábito de ter idéias

Procure pensar em soluções completamente diferentes para os problemas e dúvidas que você tiver.

Para ter uma ideia é necessário colher informações e dados a respeito do problema ou da dificuldade e anotar, sempre, as soluções que forem surgindo.

Fale com você mesmo sobre a ideia, o seu subconsciente pode encontrar soluções inimagináveis e eficazes.

  • Cuide da energia

Não há como utilizar seu potencial se você for uma pessoa pessimista, desorganizada, estressada, que não pratica nenhuma atividade física e que não tem uma boa alimentação.

Cuide do seu corpo e da sua mente. Assim você terá muito mais disposição para dar o melhor de si.

  • Aprenda sempre

Você tem a chance de aprender coisas novas diariamente. Aproveite, pergunte, fique perto das pessoas que você perceber que podem ter coisas a ensinar. Não desperdice nenhuma oportunidade para estudar, ler novos livros e fazer cursos e treinamentos.

  • Faça multiplicadores

Compartilhe o seu conhecimento, ensine que compartilhar é tornar possível o sucesso de todos. Não entre em competições. Todos têm seu espaço para conquistar. Conquiste o seu e reconheça o do próximo.

  • Seja ético

Faça elogios, aja com honestidade, transparência e lisura. Assim não há como o resultado ser negativo.

“Se carregar um punhado de terra todos os dias, logo terá uma montanha” (Sêneca)

Escolha o seu caminho e siga em frente!

Como Medir o Desempenho do Colaborador

Uma das tarefas mais difíceis do gestor é manter a equipe trabalhando unida e comprometida com as metas e sucesso da empresa. Lidar com pessoas não fácil, cada colaborador possui suas características e personalidade.

Então como encontrar uma maneira de obter o respeito de todos e manter a equipe motivada e produtive? É simples: Justiça!

Algo que ninguém tolera é a injustiça, e muitos colaboradores se veem injustiçados. Você já deve ter se deparado com burburinhos como estes:

  • “Trabalho muito e não tenho reconhecimento”
  • “Fulano chega sempre atrasado e ninguém fala nada”
  • “Fulano passa o dia no Facebook e eu aqui me matando”

Estes são só alguns exemplos do que uma má administração de equipe pode ocasionar. A mente do ser humano funciona assim: “Se ele ganha o mesmo que eu e não faz nada, porque eu devo fazer?”

Quando seus melhores talentos começarem a pensar dessa maneira, sua produtividade descerá ladeira a baixo! Você não pode deixar que as coisas cheguem a esse ponto.

Você deve manter sua equipe em um nível sadio de competição, sempre puxando para cima. Sua equipe deve formar exemplos, um colaborador deve ver o esforço do outro e pensar “Fulano tem dado duro e foi reconhecido, vou me esforçar para produzir tanto ou mais do que ele!”

E a única maneira de você jogar limpo e transparente com sua equipe é ter dados concretos para apresentar. A Avaliação de Desempenho não é um plus que grandes empresas devem ter. É uma realidade que TODAS as empresas deveriam se preocupar.

O capital humano é o maior ativo de qualquer empresa. Pense comigo:

  • Você tem CERTEZA de qual funcionário é seu melhor talento?
  • Você tem CERTEZA de qual colaborador é o mais produtivo?
  • Quantos colaboradores da sua equipe chegaram atrasado nos 2 últimos meses?
  • Quantos colaboradores da sua equipe faltaram e apresentaram atestado nos últimos 6 meses?

Se você é um gestor de equipe, você deveria ter todos estes dados a poucos cliques de alcance. Deveria possuir um sistema atualizado com tudo o que acontece na sua equipe, e assim ter total controle sobre ela.

Como recompensar o melhor colaborador e evitar perdê-lo para um concorrente por falta de reconhecimento? Como planejar ações de melhoria e desenvolvimento para seus colaboradores que podem render mais?

Como saber quais competências cada colaborador tem de melhor, e desenvolver e a primorar as que possui deficiência?

A resposta para todas as perguntas é: Avaliação de Desempenho.

Com a Avaliação de Desempenho você resolve todas estas situações:

Um colaborador foi demitido e acionou sua empresa na justiça: Com a Avaliação de Desempenho, você terá dados concretos e atualizados (desde a entrada do funcionário na empresa até sua saída) e poderá justificar o porque da demissão.

Terá anotações de cada atraso, de cada conduta equivocada ou falta de preparo para exercer a função requerida, tendo assim uma base sólida para se defender.

Evitar que “Uma maçã podre estrague o cesto de frutas”: Um colaborador revoltado causa grandes danos a uma equipe. Fora o próprio desempenho ruim, pode instigar seus colegas a também fazerem corpo mole ou sabotar a empresa por algum motivo.

Com a avaliação de desempenho, você terá subsídios para refutar qualquer argumento que este colaborador tenha para infectar a equipe. Mostre ao resto da equipe que as reclamações dele não tem fundamento, baseado em dados concretos que ele não poderá negar.

Evitar Gastos Desnecessários Com Treinamentos Equivocados: É muito comum nas empresas, equipes inteiras receberem treinamentos. Mas, isso é correto? Não seria bem mais assertivo que cada colaborador recebesse o treinamento que mais precisa para se qualificar, ou para exercer melhor a sua função?

Com a Avaliação de Desempenho, você consegue filtrar cada competência em que seu colaborador é melhor e pior, e assim estabelecer o Plano de Desenvolvimento Individual para que ele se qualifique da melhor maneira possível.

Clique no link abaixo e conheça a ferramenta que irá transformar os resultados dos seus colaboradores.

>> Clique Aqui e conheça o Software Avaliação Gratuitamente <<

Planejamento Estratégico Pessoal | Como Ser Um Melhor Profissional
5 (100%) 10 votes


E-book Grátis

Descubra os 10 passos infalíveis para uma Avaliação de Desempenho Perfeita.

Informe seu e-mail ao lado

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!